Seguidores

quarta-feira, setembro 14, 2016

LIBERDADE CRISTÃ - ESTAR CHEGANDO AO FIM!!!


LIBERDADE CRISTÃ NOS EUA, RÚSSIA, ISRAEL E BRASIL



Julio Severo

Embora fossem majoritariamente evangélicos em sua origem, os EUA não privilegiam hoje o evangelicalismo e o governo americano claramente o desfavorece. Nas leis de liberdade religiosa dos EUA, todas as religiões são iguais. Assim, o evangelicalismo que fundou os EUA está oficialmente no mesmo nível do islamismo, do hinduísmo, do catolicismo, da bruxaria, etc.


 


De acordo com esse sistema americano de igualdade, oficialmente Jesus Cristo está no mesmo nível de Maomé, Belzebu e Satanás. Aliás, nas escolas americanas você pode rezar a Satanás e recitar o Corão islâmico, mas você não pode orar a Jesus Cristo nem recitar a Bíblia.

De acordo com esse sistema, o governo americano não pode honrar sua fundação evangélica acima do islamismo, hinduísmo, catolicismo, bruxaria, etc. Se o governo americano quiser parceria religiosa, não pode dar preferência ao evangelicalismo. É obrigado a dar parceria igual ao islamismo, hinduísmo, catolicismo, bruxaria, etc.

Na Rússia, que é o maior país cristão ortodoxo do mundo, não existe essa igualdade. A Igreja Cristã Ortodoxa é reconhecida pelo governo russo como a maior religião cristã da Rússia. Católicos e evangélicos, que são dois por cento da população russa, são cidadãos religiosos de segunda classe. Os ortodoxos têm lá suas razões para fazer isso com os católicos, considerando que o Vaticano sempre hostilizou a Igreja Ortodoxa, vendo-a como rival de sua supremacia.

Os ortodoxos parecem guardar mágoas contra os católicos por causa de uma invasão de cruzados católicos em Constantinopla, que era a capital da Igreja Ortodoxa. Constantinopla foi saqueada, estuprada e vitimada por causa desse ódio antigo. Embora seu foco tivesse sido em grande parte nos muçulmanos, as Cruzadas católicas vitimaram também multidões de inocentes judeus e cristãos ortodoxos. Mas os evangélicos nunca agiram assim com os cristãos ortodoxos. Daí os ortodoxos não deveriam colocar os evangélicos na Rússia como cidadãos religiosos de segunda categoria.

O Brasil imita os EUA em liberdade religiosa. Nas recentes Olímpiadas no Brasil, o jogador Neymar, que é um evangélico nominal, foi criticado pelo Comitê Olímpico por usar uma faixa escrita “100% JESUS. ” Mas o mesmo Comitê Olímpico não criticou o encerramento oficial das Olímpiadas, o qual mostrou mães-de-santo e uma glorificação descarada das religiões afro-brasileiras.

Muitos cristãos protestaram que isso foi discriminação. Mas o que eles queriam? Eles queriam que o mesmo respeito e consideração dados aos demônios fossem igualmente dados a Jesus? Eles queriam que Jesus fosse igualado aos demônios?

Na democracia de igualdade, Jesus não é melhor do que um orixá ou Satanás. No Jornalismo da TV Cultura em 20 de agosto de 2015, o historiador Leandro Karnal disse: Se é proibido debochar ou insultar religiões, uma questão que está sendo discutida no Rio de Janeiro, vamos lembrar que satanismo também é religião e quando um pastor começar a mandar sair o demônio de alguém, a gente pode multá-lo porque ele está insultando a fé do satanista, já que o demônio também gera uma religião. Quem quiser atacar o demônio, chicotear o demônio também tem de ser multado porque está insultando a fé em Satanás. ” Você pode assistir aos comentários dele aqui: https://youtu.be/wzpqu8ZMKag

Muitos podem achar que a luta pela igualdade legal é útil, mas está trazendo mais direitos para Satanás e seus demônios e não glorifica Jesus, e glorificar Jesus é a missão mais importante do cristão. A missão do cristão não é lutar para que Jesus tenha, na democracia, o mesmo valor de Satanás e seus demônios.

Quer as leis reconheçam isso ou não, Jesus está acima dos orixás e de Satanás, que são criaturas caídas condenadas ao inferno. Jesus não é criatura. Ele é o Criador e Senhor. É blasfêmia concordar com leis que igualam criaturas caídas com o Senhor que cria, salva e transforma.

Não gosto do sistema americano atual que nivela Jesus com Belzebu. Se ressuscitasse hoje, George Washington, o primeiro presidente dos EUA, lutaria contra esse sistema, pois ele era favorável à prática, comum no início dos EUA, de que todo político, para ser empossado, deveria declarar juramento, com a mão na Bíblia, de que cria na Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo.

E não gosto do sistema russo que coloca a Igreja Ortodoxa como uma igreja cristã acima das igrejas evangélicas. Mas o sistema atual dos EUA parece muito pior.

Contudo, se os EUA acham o sistema da Rússia pior, por que não criticam também Israel? Assim como na Rússia, os evangélicos em Israel não são mais que 2 por cento. O Centro de Pesquisa Pew nos EUA identificou Israel como um dos países que coloca restrições elevadas nas religiões. O Pew disse:


“Mas a lista de países com restrições elevadas também contém alguns que são amplamente vistos como democráticos, tais como… Israel. A pontuação elevada de Israel se deve ao… seu tratamento preferencial aos judeus ortodoxos. O governo reconhece apenas as autoridades religiosas judias ortodoxas em alguns assuntos de condição pessoal (tais como casamento) com relação aos judeus e emprega a maior parte das verbas religiosas para os judeus ortodoxos, ainda que eles representem apenas uma minoria de todos os judeus em Israel. ”

Em seu livro “Perseguidos: A Agressão aos Cristãos” (Thomas Nelson, 2013), Paul Marshall diz:


 “Em outro exemplo, em Israel, o proselitismo é legal enquanto não se oferece benefícios materiais para conversões. Mas elementos dentro do governo às vezes agem como se esse não fosse o caso. Pessoas suspeitas de serem missionárias têm vistos negados e às vezes são presas e obrigadas a pagar fiança e assinar termos de compromisso de não evangelizar. Ocasionalmente, multidões de pessoas atacam igrejas ou outros prédios que abrigam conventos”.


Em comparação com os países islâmicos, Israel oferece muito mais liberdade aos cristãos. Mas em comparação com os EUA, Israel lhes oferece muito menos liberdade. Aliás, se nos EUA os judeus fossem tratados como os cristãos são tratados em Israel, haveria queixas de “antissemitismo. ”

A mesma realidade se aplica à Rússia. Em comparação com os países islâmicos, a Rússia oferece muito mais liberdade aos cristãos. Mas assim como Israel protege e privilegia sua religião principal, a Rússia faz a mesma coisa pela Igreja Ortodoxa Russa.

Portanto, a histeria da mídia americana contra a Rússia é sem base. Quando a Rússia estabelece alguma restrição para atividades religiosas não registradas, a mídia americana grita “censura” e “volta da União Soviética. ” Mas essa mesma mídia não grita nada sobre as restrições israelenses às atividades de evangelismo cristão em Israel. Aliás, fica em silêncio.

A mídia americana, que faz muito estardalhaço com a Rússia, não faz o mesmo estardalhaço com a Arábia Saudita, que mata cristãos e proíbe a Bíblia e cultos. A única diferença parece ser que a Rússia é inimiga política dos EUA e a Arábia Saudita é oficialmente “amiga”. Exatamente como Israel, a Rússia não assassina cristãos e não proíbe a Bíblia e reuniões de adoração registradas.

Evidentemente, todos esses países precisam de uma mudança poderosa.
Israel precisa de um avivamento, para viver as maravilhas do Messias Jesus Cristo.

A Rússia precisa de um avivamento, parar entender que melhor que a Igreja Ortodoxa Russa é viver para Jesus Cristo.

Os EUA e o Brasil precisam de um avivamento, para pararem de igualar Jesus e Satanás e colocá-los no mesmo nível em suas leis de liberdade religiosa.

O autor do livro “The Pink Swastika” (A Suástica Rosa) Scott Lively, que conhece muito bem os desafios de liberdade religiosa nos EUA e Rússia, ofereceu seu comentário para meu blog:

“Neste conflito antiquíssimo de grupos doutrinários, é importante reconhecer que todas as denominações e instituições eclesiásticas não conseguem plenamente refletir ‘O Caminho do Messias’ conforme ensina a Bíblia inteira. Qualquer movimento ou instituição religiosa que tenha a pretensão de falar em nome de Deus ou fornecer ‘a única via verdadeira’ de comunhão com Ele comete o pecado da arrogância. Nenhum dos apóstolos afirmou ser portador de infalibilidade e suas perspectivas variavam amplamente, resolvendo suas diferenças de forma prática (votando). Paulo tratou da questão de disputas doutrinárias de modo direto em 1 Coríntios, admoestando a igreja a ‘não julgar antes do tempo, mas aguardar até a vinda do Senhor”. Enquanto isso, precisamos buscar a unidade espiritual de TODOS os crentes em Cristo nos pontos em que podemos concordar — inclusive os judeus fieis à Torá que ainda não reconheceram Jesus como Messias — e abordar nossas diferenças com amor e humildade”.


Leitura recomendada:

Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/pages/Blog-Julio-Severo/185623904807430


ESCATOLOGIA !!!


ESCATOLOGIA – ESTUDO SOBRE O QUE É ESCATOLOGIA



Escatologia com certeza é a área da teologia que desperta mais curiosidade entre cristãos e até mesmo não cristão. Também é na Escatologia onde certamente os maiores debates teológicos são travados, isso devido as diferentes escolas de interpretação.

Devido a muitos pedidos, faremos uma série completa sobre Escatologia. Começaremos neste texto com uma visão geral sobre o que é Escatologia e, nos textos seguintes, analisaremos detalhadamente cada visão escatológica.
O que é Escatologia?

A Escatologia é o clímax da revelação divina, a principal razão da criação do mundo material, e o cumprimento dos propósitos eternos de Deus para a humanidade. A Escatologia é a divisão da Teologia Sistemática que aborda tanto as profecias que já se cumpriram, como as que ainda se cumprirão, ou seja, tudo o que era “profeticamente futuro” na época em que foi escrito.

O que significa Escatologia?

Escatologia é um termo que começou a ser utilizado no século XIX e vem do gregoeschatos, “último”, e logos, “raciocínio”, significando então “teologia (ou doutrina, raciocínio) das últimas coisas”.

Quais são os principais assuntos estudados na Escatologia?

De forma geral, um estudo escatológico completo e detalhado procura estudar:

·              As profecias em relação a Jesus Cristo: tanto a profecia messiânica da primeira vinda de Cristo que é o assunto mais importante do Antigo Testamento, quanto às promessas de Sua segunda vinda;

·              Profecias em relação a Israel: uma abordagem completa, iniciando desde as primeiras promessas a Abraão no livro de Gênesis;

·              Profecias em relação aos gentios: existem muitas profecias na Bíblia sobre os gentios, abordando desde a primeira que ocorreu ainda na família de Noé;

·              Profecias em relação à Igreja: as principais profecias estão concentradas no Novo Testamento, onde fica claro a convocação de um corpo de santos formado por judeus e gentios;

·              Estado intermediário: uma abordagem sobre o estado intermediário dos homens (tanto dos salvos quanto dos ímpios) após a morte enquanto aguardam a ressurreição;

·              Reino milenial: essa área é a que mais gera discussões devido as suas diferentes escolas de interpretação, mas basicamente se refere ao reino milenar de Cristo descrito em Apocalipse capítulo 20;

·              Juízo final: um estudo sobre o julgamento de todos os homens. O evento do juízo final terá algumas diferenças (principalmente cronológicas) dependendo da corrente de interpretação escatológica adotada;

·              Estado eterno: um aprofundamento sobre os relatos de Apocalipse 21, onde é descrito o local do estado eterno para os justos como sendo um novo céu e uma nova terra, e para os ímpios o tormento eterno no lago de fogo, que é a segunda morte.

As diferentes correntes escatológicas:

Existem basicamente quatro correntes de interpretação escatológica:
·              Pré-Milenismo Histórico: defende a segunda vinda de Cristo como sendo pós-tribulacional, e uma interpretação literal de Apocalipse 20;

·              Pré-Milenismo Dispensacionalista: também interpreta de forma literal o capítulo 20 de Apocalipse, e defende a segunda vinda de Cristo dividida em duas partes, sendo, a primeira pré-tribulacional para a Igreja, e pós-tribulacional para estabelecer o milênio;

·              Amilenismo: defende a segunda vinda de Cristo como sendo pós-tribulacional, e uma interpretação não literal de Apocalipse 20, ou seja, o milênio não é um período literal e sim espiritual que já começou na primeira vinda Cristo;

·              Pós-Milenismo: defende a segunda vinda de Cristo como sendo pós-tribulacional, e também uma interpretação não literal de Apocalipse 20, porém diferente do Amilenismo que define o início do milênio na segunda vinda de Cristo, o Pós-Milenismo acredita no milênio como sendo um período de grande paz e prosperidade no mundo ocasionado pela pregação do Evangelho.

Os pontos mais discutidos nas diferentes interpretações escatológicas:

·              Segunda Vinda de Cristo/Arrebatamento: o evento em que Cristo retornará a terra. Para o Pré-Milenismo Dispensacionalista, esse evento será dividido em duas etapas, iniciando com um arrebatamento secreto da Igreja. A palavra “arrebatamento” não existe originalmente na Bíblia, mas foi traduzida de um termo grego em 1 Tessalonicenses 4:17para se referir ao encontro repentino da Igreja com Cristo nos ares;

·              Tribulação/Grande Tribulação: Um período de tribulação final e intensa que afligirá o mundo. Para quem defende um arrebatamento pré-tribulacionista, a igreja não passará por esse período. Já quem defende um arrebatamento pós-tribulacionista, acredita que a igreja passará pela grande tribulação e no final será salva pela volta de Cristo;

·              Tribulação de Sete Anos: No Novo Testamento não existe a informação de que o período de grande tribulação durará sete anos. Quem defende essa posição utiliza as setenta semanas de Daniel (Dn 9) combinando com um esquema de leitura do livro de Apocalipse (principalmente o capítulo 13) para construir um estudo que serve como base para o argumento;

·              Anticristo: o aparecimento de uma pessoa (e/ou sistema em algumas linhas de interpretação); que exercerá um governo unificado no mundo e agirá em grande oposição a Deus;

·              Milênio: período descrito em Apocalipse 20 a qual os santos reinaram com Cristo. Nesse tempo Satanás estará amarrado, e será solto apenas no fim do período. Alguns interpretam como um período literal após a volta de Cristo, e outros interpretam como um período simbólico antes da volta de Cristo.

Para uma melhor compreensão sobre o assunto, indicamos a leitura dos textos:

·              As Diferentes Correntes Escatológicas
·              O Livro do Apocalipse
·              Como Estudar o Livro do Apocalipse


Sobre Daniel Conegero



Daniel Conegero

Daniel Conegero é o líder do Projeto Estilo Adoração. Começou a pregar a Palavra de Deus com apenas 3 anos de idade. Aos nove anos começou a compor e liderar o louvor na igreja. É professor de Teologia e também da Escola Bíblica Dominical na igreja em que congrega. É formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.



Fonte: https://estiloadoracao.com/o-que-e-escatologia/

quarta-feira, setembro 07, 2016

VAZIO ESPIRITUAL DEIXADO POR UMA IGREJA MORIBUNDA NOS EUA E EUROPA




Posted: 30 Aug 2016 06:00 AM PDT

Bruxaria, islamismo e humanismo estão preenchendo o vazio espiritual deixado por uma igreja moribunda nos EUA e Europa


Michael Snyder


Uma mudança dramática de paradigma espiritual está ocorrendo no Ocidente. Mais americanos do que nunca parecem estar se desviando da fé cristã, e isso está acontecendo principalmente entre jovens. E embora seja inegável que o ateísmo e o agnosticismo estejam crescendo rapidamente, é também importante apontar que outras religiões estão em ascensão no Ocidente no tempo exato em que o Cristianismo está encolhendo. Se você é cristão, o que você está para ler deveria lhe trazer muita preocupação.

 

Vamos começar pela bruxaria. Estima-se que a Wicca (uma forma muito popular de bruxaria) é agora a religião que mais cresce nos EUA. Livros e filmes que apresentam Harry Potter e outros que usam “magia” para o bem estão estimulando interesse enorme na magia negra hoje. Só considere o trecho seguinte de um artigo no site Salon que foi publicado no começo deste ano:

Lojas que se especializam em miudezas metafísicas (velas de meditação ritual, óleos misturados, ervas sagradas) como Céu Encantado e a Casa da Intuição em Los Angeles, embora não sejam novas, de repente estão recebendo multidões de clientes. No Brooklyn, a loja Bruxas de Bushwick expandiu de um local no circuito de farras secretas para uma organização coletivista social que celebra a feitiçaria como arte feminista e colabora com empresas da moda como Chromat. É claro que para os que preferem fazer poções em casa, várias novas lojas de assinatura de temas de bruxaria e ocultismo entregam produtos de magia negra na sua casa.

E a mídia social deu condições para jovens interessados na magia negra se conectarem uns com os outros de um modo que nunca vimos antes. Eis mais informações de Salon:
Confira a mídia social: Uma busca da palavra #witch (bruxa) no Instagram dá como resultado cerca de 2.375.000 posts — ao passo que para #kardashian registra apenas 1.630.000. Na próxima vez, pesquise numa loja cara: cartas de tarô estão voltando em estilo elevado, graças a varejistas como Wild Unknown — suas cartas astutas estão em lojas de todos os Estados Unidos, desde centros comerciais luxuosos como ABC Home em Nova Iorque até lojas independentes como Skylark na Praia Venice na Califórnia. K-Hole estava certo, o misticismo agora é a nova normalidade.

Sim, há ainda muito mais cristãos do que bruxas nos EUA.

Mas as fileiras dos que estão entrando no ocultismo estão crescendo muito rapidamente — principalmente entre jovens americanos — e em muitas igrejas no domingo de manhã você será feliz se conseguir achar um punhado de jovens.
Enquanto isso, o islamismo está também em ascensão no Ocidente. Muito da culpa disso é devido à imigração, e novas mesquitas estão surgindo em todas as partes dos Estados Unidos e Europa.

À medida que o islamismo avança, tem havido um esforço concertado de certos grupos para unir o Cristianismo e o islamismo. Esse movimento ficou conhecido como “Crislam,” e em anos recentes temos visto algumas coisas que muitos de nós nunca imaginamos que chegaríamos a ver no mundo cristão.

Por exemplo, no começo deste ano a Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos EUA (PCUSA) foi iniciada com uma reza oferecida a Alá:

“Alá nos abençoe e abençoe nossas famílias, e abençoe nosso Senhor. Conduz-nos na vereda direita — a vereda de todos os profetas: Abraão, Ismael, Isaque, Moisés, Jesus e Moamé.”

Essas foram as palavras que ecoaram na congregação na Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos EUA (PCUSA) que se reuniu em Portland, Oregon. Wajidi Said, cofundador da Fundação de Educação Muçulmana, dirigiu os participantes na reza ao deus islâmico, uma ação providenciada pela equipe do ministério ecumênico inter-religioso da assembleia.

A reza foi a parte mais importante da sessão de abertura da reunião, um momento dedicado a orar pelos que haviam sido afetados pelo tiroteio em Orlando que ocorreu apenas uma semana antes.

E é claro que a Igreja Presbiteriana dos EUA está longe de ser a única. O Papa Francisco declarou que os cristãos e os muçulmanos “adoram o mesmo Deus, ” e em 2014 ele autorizou rezas islâmicas e leituras do Corão no Vaticano pela primeira vez na história.
Mas apesar de tais esforços de “unir cristãos e muçulmanos, ” a verdade é que os terroristas islâmicos continuam a massacrar cristãos numa base contínua no mundo inteiro. O atentado mais recente numa igreja ocorreu na Indonésia no domingo:
Um homem-bomba suicida do ISIS atacou hoje um padre católico com um machado enquanto tentava explodir centenas de participantes da missa numa igreja no domingo.
O Pe. Albert Pandiangan, de 60 anos, estava realizando a cerimônia santa no altar quando o fanático de 18 anos foi depressa até ele com uma bomba numa mochila e tentou se explodir.

Mas a bomba queimou sem detonar os explosivos, de modo que o terrorista islâmico puxou um machado de sua bolsa e fez um corte no braço do padre na Igreja de São José em Medan, na capital do Norte do Sumatra na Indonésia.

Até agora houve mais de mil atentados terroristas islâmicos em 2016, e o ISIS parece ter uma ênfase renovada em atacar igrejas e cristãos onde quer que os achem.
Sem dúvida, estamos também testemunhando um aumento imenso no número de ateus e agnósticos no Ocidente. A Europa está muito mais longe do que os Estados Unidos nesse aspecto, e muitas áreas do continente são com justiça consideradas como “pós-cristãs” nesse ponto.

No Reino Unido, a fé cristã vem diminuindo tão dramaticamente que há agora “capelães humanistas” que não acreditam em absolutamente nenhuma religião:

Com o número de membros em todas as igrejas cristãs tradicionais em seu ponto mais baixo, a Inglaterra está vendo o crescimento de capelães humanistas que proveem apoio “pastoral” para as pessoas que não têm nenhuma religião.

No mês passado a Universidade de Westminster em Londres inovou ao nomear seu primeiro conselheiro secular oficial para os estudantes.

Essa ação foi resultado de campanhas da Associação Humanista Britânica desde 2014 para treinar mais que 100 voluntários para entrarem nas escolas, hospitais e prisões a fim de fornecer apoio aos que não acreditam numa deidade.

Felizmente, as coisas são muito diferentes em boa parte do resto do mundo. Aliás, a fé cristã está atualmente experimentando um crescimento explosivo na China, Índia, América do Sul e muitas partes da África.

Mas nos Estados Unidos e Europa as pessoas estão deixando a fé de seus ancestrais em números espantosos, e esse vazio espiritual está muitas vezes sendo preenchido por outras religiões tais como a bruxaria e o islamismo.

Então o que isso significa para o futuro da sociedade americana e europeia?


Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: Witchcraft, Islam and Humanism Are Filling the Spiritual Void Left by the Dying Church

Outro artigo de Michael Snyder
Outros artigos relacionados:

Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/pages/Blog-Julio-Severo/185623904807430