OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

quarta-feira, fevereiro 26, 2014

UCRÂNIA SE ENGAJA NA LUTA PRÓ-FAMÍLIA

Comentários, Artigos e Notícias do Brasil e do Exterior
11 De Março De 2012

UCRÂNIA SE ENGAJA NA LUTA PRÓ-FAMÍLIA

Júlio Severo


“A necessidade de proteger e fortalecer a família tradicional”, essa foi a preocupação do 2º Fórum de Pais Ucranianos, que contou com a participação de 1.300 pessoas e líderes, inclusive representantes da Rússia.


O evento ocorreu em de 24 a 25 de fevereiro 2012 em Kiev, na capital da Ucrânia, e recebeu a saudação e bênção do Metropolita Vladimir, primaz da Igreja Ortodoxa Ucraniana (Patriarcado de Moscou).


O Fórum de Pais Ucranianos elaborou uma resolução (que está em russo aqui: http://rodkom.org/2012/879.html) que tem pontos ousados, inclusive:



* Defender o direito à educação escolar em casa.

* Apoiar os Artigos de San José (um tratado pró-vida).

* Apoiar a Resolução de São Petersburgo (que rejeita os mandos e desmandos anti-vida da ONU nas nações e nas famílias)

* Opor-se à agenda homossexual e feminista.

* Opor-se à “abrangente educação sexual”.


A Resolução afirma abertamente: “Os participantes do Fórum declaram unanimemente que a família com base no casamento de um homem e uma mulher, que se esforçam pelo nascimento e criação de filhos, é o alicerce do Estado”.


A Resolução aponta para as ameaças à família no mundo de hoje, enumerando-as da seguinte forma: “destruição dos valores da família tradicional, ampla disseminação do alcoolismo, vício de drogas, prostituição, homossexualidade, pedofilia; propaganda pública de violência, liberdade sexual, estilos de vida imorais e anti-família; propaganda de divórcios e abortos; amplas intervenções do Estado na vida da família sob o pretexto de interpretações irracionalmente vastas dos direitos das crianças”, etc.


O documento denuncia especificamente: “Muitos desses fenômenos destrutivos, que são estranhos à cultura e valores tradicionais da Ucrânia, estão se espalhando com o apoio de estruturas intergovernamentais, tais como a ONU e o Conselho da Europa. Nesse processo, viola-se a soberania estatal da Ucrânia, as normas legais internacionais são distorcidas, o evidente abuso dos tratados e leis internacionais é reconhecido, e a pressão ilegítimas é exercida em nosso país”.


Os participantes afirmaram que “apoiam totalmente… a Resolução de São Petersburgo sobre as tendências anti-família na ONU, adotada nas audiências públicas internacionais e aprovadas por 126 ONGs da Rússia e Ucrânia”. (A Resolução está disponível em inglês aqui: http://blog.profamilia.ru/docs/Saint-Petersburg-Resolution-UN-English.pdf)


Eles então declaram que “todas as normas legais internacionais têm de ser usadas somente nos interesses da família, e não devem levar à destruição da identidade cultural da Ucrânia e dos valores morais e familiares tradicionais de nosso povo”.


Então a Resolução declara: “Os participantes do Fórum também apoiam os Artigos de São José, em que renomados especialistas internacionais declararam a inadmissibilidade da má interpretação das cláusulas de leis internacionais com o objetivo de propaganda de aborto e matança de crianças em gestação”.


Afirmando que é necessário proteger o direito dos pais de educar e criar os filhos em conformidade com seus valores, convicções e opiniões religiosas, o documento então expressamente declara que: “Deve-se garantir os direitos dos pais escolherem o tipo de educação para seus filhos, inclusive o direito de dar educação pré-escolar e de nível escolar em casa”.


Entre as outras coisas, a Resolução declara que é necessário “parar de usar os programas impostos da tão chamada ‘educação sexual’”, então pedindo educação de castidade, preparação para a vida familiar, abstinência de atividades sexuais antes e fora do casamento.


Essas informações foram passadas pelo presidente da maior organização pró-família da Rússia a um grupo de líderes pró-família internacionais, onde fui graciosamente incluído. Entre os líderes estava também o Dr. Stephen Baskerville, do Instituto Interamericano.


O documento, elaborado por ucranianos e russos, colocando como prioridade a defesa da educação escolar em casa e condenando intrusões estatais nas famílias, é muito mais forte do que os documentos pró-vida brasileiros que vi e assinei em 25 anos de envolvimento com o movimento pró-vida do Brasil.


De que forma essas informações da Ucrânia e Rússia podem ser úteis? Em seus tempos de plena atividade terrorista comunista, a senhora Dilma Rousseff e outros “companheiros” viam a União Soviética (que abrangia Rússia, Ucrânia e outros países) como um modelo a ser seguido.


Agora que o povo da Ucrânia e Rússia está dando meia volta volver, temos de reivindicar que Dilma imite esses países, que eram sua antiga paixão!


E uma notícia excelente é que o governador de São Petersburgo, a segunda maior cidade russa, sancionou hoje, conforme informação que acabei de receber da Rússia, a lei que proíbe paradas gays, eventos gays, propaganda gay, kits gays e tudo o mais que tenha a ver com exposição pública do estilo de vida gay. Parabéns ao povo de São Petersburgo!


Nota: O que podemos entender, é que por trás de todas as guerras, sem motivos aparente, existe uma manobras diabólica infernal contra a humanidade. Precisamos nos preparar mais, JESUS ESTÁ VOLTANDO!!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário