OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

domingo, março 16, 2014

DEUS ESCOLHEU ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO

.
ADMEP – ASSEMBLEIA DE DEUS – MINISTÉRIO ESTUDANDO A PALAVRA




 EBD - Escola Bíblica Dominical
Departamento de Educação Cristã



Tema

“DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO”


TEXTO ÁUREO

E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra”
(Ap 5. 10)


VERDADE PRÁTICA

Cristo nos fez reis e sacerdotes, para anunciarmos as virtudes do seu Reino.


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:

Êxodo 28. 1 – 11

Objetivos

§  Explicar – o sacerdócio em Israel.  
§  Elencar os elementos da indumentária sacerdotal.
§  Compreender o papel atual dos ministros da Igreja de Cristo

Introdução: -  Tendo revelado o modelo do santuário terreno (25. 1 – 27. 21), Deus agora revelava os regulamento para o ministério sacerdotal do santuário.

I.      O SACERDÓCIO - (Êxodo 28. 1- 5; Lv 8. 1 – 10.20) – Uma ordem de Deus a Moisés composta de 8 itens para o momento da Consagração (Lv. 8. 1 -3):

a)           Toma Arão,
b)           Seus filhos,
c)            As vestimentas,
d)           O óleo da unção,
e)           Um novilho,
f)             Dois carneiros,
g)           Cesto de pães asmos,
h)           Reúna Israel.


Levítico 8.6: Também eram dados 7 passos na Consagração dos sacerdotes:
a)           Apresentou-os a Deus, (v 1 -5),
b)           Lavou-os com água (v. 6),
c)            Vestiu-os (v. 7 – 9, 13),
d)           Ungiu-os (v. 10 – 12),
e)           Ofereceu sacrifícios a Deus (v. 14 – 30),
f)             Comunhão com Deus (v. 31, 32),
g)           Separação e serviço (v. 33 – 36).


1)       O Sacerdote: (v. 1) O Senhor deu instruções a respeito do ministério de Arão, o sumo sacerdote e dos deveres do sacerdócio em geral (Caps. 28 – 29). O sacerdote era uma pessoa com a missão de representar o povo diante de Deus.


1.1. Os sacerdotes deviam queimar incenso, cuidar do castiçal e da mesa dos pães da proposição, oferecer sacrifícios no altar e abençoar o povo. Além disso, também julgavam causas civis (cf. Nm 5. 5 -31) e ensinavam a lei de Deus ao Povo (Dt 33. 10; Ne 8. 7,8).


1.2. Os sacerdotes ministravam como mediadores entre o povo e Deus (vv. 12, 29, 30) e também comunicavam ao povo a vontade e o concerto de Deus (Jr 33. 20 – 22; Ml 2. 4) e intercediam, perante Deus, devido à pecaminosidade do povo. Exercendo o seu ministério, eles faziam expiação pelo pecado do povo e pelos seus próprios pecados (29. 33; Hb 9. 7, 8), e testificavam da santidade de Deus (v. 38; Nm 18. 1).


2)       O Sumo Sacerdote: Uma vez por ano o sumo sacerdote passava além do véu, que separava o lugar santo do lugar santíssimo, e comparecia diante do propiciatório com o sangue da expiação, a fim de interceder pelo povo.


O Sacerdote não podia consagrar-se a si mesmo. Moisés agia em lugar de Deus nessa função. Cada sacerdote apresentava seu corpo em sacrifício vivo para o serviço divino, como Paulo deseja que façamos (Romanos 12. 1, 2).


SINOPSE DO TÓPICO (1)
Deus ordena o ministério sacerdotal por intermédio de Moisés, separando Arão e seus filhos para o santo ofício.



II.       A INDUMENTÁRIA DO SACERDOTE – (vs. 3 - 29)


Farás vestes sagradas”. As vestimentas do santo sumo sacerdote de Deus tinham uma importância máxima. Visavam a beleza e eram feitas dos mesmos materiais caros que o tabernáculo. O Sumo Sacerdote possuía dois tipos de vestes:


1)          Vestes coloridas cheias de ornamentos complexos;

2)     Vestes simples em tecidos branco. O primeiro tipo é descrito nessa passagem (v. 2 – 4). A estola sacerdotal (v. 6,7); também chamada “éfode”) era semelhante a um avental com duas partes (frente e verso) unidas pelas ombreiras e aberta dos lados.


3)      A túnica de linho e o éfode (Êxodo 28. 4 – 28; 39 – 43).  Essa peça de linho, sem mangas, enfeitada com fios coloridos, era feita de material caro e descia desde o peito até à cintura. Possuía tiras nos ombros, com duas pedras de ônix gravadas com os nomes das tribos e um cinto (39. 2 – 7). O peitoral, que continha o Urim e Tumim, era seguro à estola por meio de duas argola de ouro (v. 27; I Sm 23. 9-10).


Os filhos de Arão vestiam túnicas, cintos e tiaras de cor branca, para glória e ornamento (v. 40). Como roupa de baixo, utilizavam calções de linho.  As vestes os cobriam da cabeça aos tornozelos, mas não havia cobertura para os pés, pois andavam sobre solo sagrado quando ministravam ao Senhor (3.5). A palavra traduzida por “consagrarás” (v. 41) significa literalmente “encher as mãos” (i. e, encher as mãos com ofertas).


4)   O Urim e Tumim. (Êxodo 28. 30). O peitoral também é chamado peitoral do juízo (v. 15, 29 – 30), provavelmente por causa do Urim e Tumim, utilizados para saber os juízos do Senhor (Nm 27. 21).


A expressão “Urim e Tumim” significa “luz e perfeição”. Eram pedras que os sacerdotes utilizavam na hora de tomar decisões.


SINOPSE DO TÓPICO (2)
A túnica de linho, o éfode, o Urim e o Tumim eram elementos sagrados que compunham a indumentária sacerdotal.


III.   MINISTROS DE CRISTO PARA A IGREJA


1)  Chamados por Deus Para o Sacerdócio Santo:  No AT, o sacerdócio era restrito a uma minoria qualificada. Sua atividade distintiva era oferecer sacrifícios a Deus, em prol do seu povo e comunicar-se diretamente com Deus (Êx 19. 6; 28. 1; 2 Cr 29. 11). Agora, por meio de jesus Cristo, todo crente é constituído sacerdote para o serviço de Deus (Ap 1. 6; 5. 10; 20.6). Esse sacerdócio de todos os crentes abrange o seguinte:


1.1. Todos os crentes têm acesso direto a Deus, através de Cristo (I Pe 3. 18; Jo 14. 6; At 4. 12; Ef 2. 18).


1.2. Todos os crentes têm a obrigação de viver uma vida santa (v I Pe 2. 5, 9: 1. 14- 17).


1.3. Todos os crentes devem oferecer “sacríficos espirituais a Deus”, inclusive: (a) viver em obediência a Deus, sem conformar-se com o mundo (Rm 12. 1,2); (b) orar a Deus e louvá-lo (Sl 50. 14; Hb 13. 15); (c) servir com coração íntegro e mente disposta (I Cr 28. 9; Fp 2. 17; Ef 5. 1,2); (d) praticar boas ações (Hb 13. 16); (e) contribuir com nossas posses materiais (Rm 12. 13); Fp 4. 18) e (f) apresentar nossos corpos a Deus como instrumentos da justiça (Rm 6. 13, 19).


1.4. Todos os crentes devem interceder e orar uns pelos outros e por todos (Cl 4. 12; I Tm 2; 1; Ap 8.3).


1.5. Todos os crentes devem proclamar a Palavra e orar pelo sucesso dela (I Pe 2. 9; 3. 15; At 4. 31; I Co 14. 26; 2 Ts 3. 1; Hb 13; 15).

2)       Qualificações:  - Com relação a quem tem chamadas específicas para o Ministério, as suas qualificações estão todos muito bem detalhadas em I Tm 3. 1 – 13:


ü   Dezesseis (16) qualidades para o Bispo e começa com “irrepreensível”; e


ü   Dez (10) qualificações para os Diáconos, começando com: “honesto” ...


3)       Comprometidos com a Palavra: - Todos os crentes devem proclamar a Palavra e orar pelo sucesso dela (I Pe 2. 9; 3. 15; At 4. 31; I Co 14. 26; 2 Ts 3. 1; Hb 13; 15).



SINOPSE DO TÓPICO (3)
Os ministros de Cristo são dados por Deus à Igreja. Eles devem manifestar um caráter que honre ao Pai e que, igualmente, demonstre o compromisso com o ministério da Palavra.



CONCLUSÃO: - Os crentes, como sacerdotes de Deus, são separados do mundo a fim de pertencerem totalmente a Deus e de proclamarem o evangelho da Salvação para a glória e louvor de Deus (Êxodo 19. 6, Is 43. 20. 21). Deus conta com Você!



                                       Pastora, MARIA VALDA

                                E-mail:   pastora.mariavaldap@mail.com

E-mail da Igreja: igreja.admep@gmail.com



                                                     Professora, MARIA VALDA
                  E-mail: igreja.admep@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário