OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

sexta-feira, julho 03, 2015

“UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL À LIDERANÇA”


ADMEP – 
ASSEMBLEIA DE DEUS MINISTÉRIO ESTUDANDO A PALAVRA

EBD - Escola Bíblica Dominical
DEC -  Departamento de Educação Cristã



Tema:

“UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL À LIDERANÇA”


TEXTO ÁUREO

Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.”

 (I Tm 4. 12)


VERDADE PRÁTICA


“As cartas pastorais reúnem orientações à liderança cristã e aos membros em geral para que vivam conforme a vontade de Deus.


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:

I Timóteo 1.1, 2; Tito 1.1 – 4.



à              Objetivos Geral: -

Apresentar um panorama geral das epístolas paulinas de Timóteo e Tito.

à              Objetivos Específicos: -

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.



à              Introduzir as epistolas pastorais de Timóteo e Tito.

à              Conhecer – os propósitos das epístolas de Timóteo e Tito.

à              Conscientizar – a respeito da atualidade das epístolas pastorais.



Introdução: - Neste trimestre teremos a oportunidade ímpar de estudar as Epístolas de 1 e 2 Timóteo e Tito. Estas cartas, em geral, são consideradas um conjunto, já que foram dirigidas a dois jovens pastores que cuidavam do rebanho do Senhor juntamente com Paulo. O conteúdo destas está repleto de conselhos úteis sobre a estrutura da vida da Igreja. Estes conselhos fazem destas cartas verdadeiros manuais eclesiásticos para a liderança das Igrejas de hoje.

I.        AS EPÍSTOLAS PASTORAIS

1)   Cartas pastorais. – A Primeira Epístola a Timóteo, Tito e a Segunda Epístola a Timóteo são chamadas de Epístolas Pastorais. Elas foram escritas, provavelmente, nessa ordem. São consideradas as últimas epístolas de Paulo e possuem algumas características comuns. Primeiro, elas são dirigidas a indivíduos, ainda que fossem também indicadas para serem lidas nas igrejas pelas quais Timóteo e Tito eram responsáveis.  Segundo, Paulo estava especialmente preocupado com o sério problema dos falsos mestres, que desviavam os cristãos da fé. Terceiro, as epístolas foram escritas já no final da vida de Paulo, quando a necessidade de maior estrutura eclesiástica estava se tornando mais aparente. [A Bíblia de Estudo da Mulher]


2)          Propósitos de Cada Carta:


à              I TimóteoO objetivo primário da epístola era estimular em sua difícil tarefa de lidar com erros doutrinários e problemas práticos na igreja em Éfeso, bem como lhe dar instruções a respeito das responsabilidades pastorais e qualificações e deveres da liderança eclesiástica. 

à              II Timóteo – O objetivo imediato de Paulo na carta era exprimir um apelo carinhoso para que Timóteo viesse até ele (4.9,11,13,21). Entretanto, a principal preocupação de Paulo era o bem-estar da igreja, e ele instruiu Timóteo a aperfeiçoar sua organização e garantir o evangelho. Ao perceber que sua morte estava eminente e que talvez Timóteo não chegasse a tempo de uma última visita. Paulo aplicou em sua carta palavras solenes de aconselhamento. Sua preocupação era com o evangelho, e ele expressou a Timóteo sua inquietação com o fato de que seu jovem colaborador transmitisse fielmente o evangelho após a morte do antigo guerreiro. A carta incita Timóteo a ser fiel face às dificuldades, deserções e erros.

à               Tito - Paulo deu a Tito, um pregador do evangelho relativamente jovem, a difícil tarefa de dirigir a palavra em Creta. Mais tarde, ele escreveu esta carta para dar a Tito instruções mais detalhadas sobre a realizações de seus deveres pastorais. [Bíblia de Estudo Plenitude]



3)       Datas e Locais em que foram escritas. 1 Timóteo, talvez escrito da Macedônia, por volta de 67 d. C. (I Tm 1.3). 2 Timóteo, Escrito de Roma, cerca de 68 d. C. Aparentemente Paulo foi libertado da prisão depois do registro de Atos 28, cerca de 64 d. C., viajou cinco ou seis anos indo o Oeste, na direção da Macedônia e Ásia Menor (I Tm 1. 3; Tt 3. 12), como antecipado em Fp 1. 26;  2. 24; Fm 22, e foi preso novamente e enviado a Roma para a execução, depois de ter escrito 2 Timóteo. Tito, talvez da Macedônia, cerca de 67 d. C. (I Tm 1. 3). [Bíblia de Estudo DAKE]

4)  Conteúdo: - As três cartas pastorais (1ª Timóteo e 2ª Timóteo e Tito) formam um conjunto literário, devocional e doutrinário em que se observam o mesmo vocabulário, o mesmo estilo e os mesmos propósitos para que foram escritas, o que reforça a evidência interna de que seus escritos tiveram origem na mente do seu autor, que foi o apóstolo Paulo. Nas três cartas, percebe-se a preocupação de Paulo em orientar as igrejas quanto à firmeza na fé cristã, ante os perigos das falsas doutrinas, sua organização eclesiástica e administrativa, e sobre como uma comunidade que saía do judaísmo para uma nova visão perante a realidade do mundo, de seu tempo e do futuro da Igreja, em termos escatológicos. Esse conteúdo poderá ser mais bem entendido quando da análise de cada epístola em particular. As mensagens dessas cartas vão além de uma missiva a seus jovens obreiros. São epístolas cujo conteúdo doutrinário é tão profundo, que servem de fundamento bíblico para a edificação das igrejas cristãs, ao longo dos séculos. Sua mensagem, ainda que escrita por volta de 64 d. C., revela-se muito bem apropriada para as necessidade espirituais das igrejas atuais, em plena época da chamada Pós-Modernidade.

a)          Saudação. – Nas saudações aos destinatários (Timóteo e Tito), Paulo demonstra o seu cuidado para com os jovens obreiros (I Tm 1. 2; Tt 1. 1 -4; 2 Tm 1. 1 – 2).

b)  Qualificações ministeriais: - Paulo demonstra que para ser Ministro do evangelho, há requisitos a serem respeitados (I Tm 3. 1 – 13).  Há dezesseis (16) qualificações para os Bispos ou Pastores e treze (13) para os diáconos. Para os Bispos começa com a advertência de: “Seja irrepreensível”; para os diáconos, “Sejam honestos”. [Bíblia de Estudo DAKE].


c)           Alerta contra os falsos mestres e as falsas doutrinas. (I Tm 4. 1 -5; Tt 1. 10 – 16). Falsos mestres e falsas doutrinas já existiam nas igrejas e infelizmente ainda existem em muitos lugares.

d)      Cuidado com a “sã doutrina”.(I Tm 1. 10;  6. 1. 13; 4. 3; Tt 2. 1); a falta desse cuidado contribui para a disseminação das heresias e desvios de toda a espécie.

e)         Comportamento e conselhos a diversos grupos. – (I Tm 5. 1 – 15; Tt 2. 1 – 10). Paulo fala a respeito dos servos, senhores, pais, filhos, jovens e outros grupos.


II.        PROPÓSITO E MENSAGEM

As cartas pastorais de I Timóteo, 2 Timóteo e Tito tinham em comum os seguintes propósitos:


1)          Orientar os líderes quanto à vida pessoal. – [...] Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvará, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (I Tm 4. 12, 16).   A orientação para os Obreiros e igrejas em geral – O Apóstolo Paulo as escreveu para dar instruções ao ministério que seus dois amigos Timóteo e Tito tinham recebido da parte de Deus. Nelas, Paulo escreve a respeito da organização da igreja, dá instruções sobre várias heresias e oferece descrições das qualidade de alguém que aspira ao ministério da igreja e quais exigências cumprir para que sejam bons ministros do evangelho.


2)        Combater as heresias. – A responsabilidade imediata de Timóteo era esta: ‘Para advertires a alguns que não ensinem outra doutrina’. O Apóstolo não nos informa a quem ele se referia quando emitiu esta ordem; Timóteo provavelmente já sabia muito bem quem eram os envolvidos. Paulo usa termos vagos para descrever a natureza destas heresias: Fábulas ou... genealogias intermináveis, que mais produziam questões do que edificação de Deus, que consiste na fé.

Mesmo que seja impossível concluir com plena certeza quais eram esses ensinos nos que o apóstolo percebia que estavam minando a fé dos cristãos efésios, não é forçar a interpretação sugerir que se tratava de um começo de gnosticismo. A heresia conhecida por gnosticismo, que no século II se tornou ameaça séria à integridade do ensino cristão, tinha raízes judaicas e gentias. Houve três fases sucessivas da influência judaica na igreja primitiva. A segunda era a fase judaizante que Paulo combateu com tanta eficácia na Epístola aos Gálatas. É sobre a terceira fase, em que havia ‘revelações fingidas sobre nomes e genealogias de anjos’, que o apóstolo procura avisar Timóteo(RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1. Ed. Rio de janeiro: CPAD, 2007, p. 452).


III.    UMA MENSAGEM PARA A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA DA ATUALIDADE

Estamos vivendo os tempos trabalhosos que Paulo falou em 1 Timóteo 4. 1, 2. Precisamos estar atentos, por isso, vamos estudar duas heresias da atualidade. Estas precisam ser confrontadas com a Palavra de Deus.

1)   O “Evangelho” da prosperidade. – “Confissão Positiva”, Você é um “deus” pode tudo; tudo o que disser tornar-se-á realidade, e terá o mundo e as riquezas que desejar, nem pobreza nem enfermidades. Com essa heresia Satanás leva as pessoas a crerem que o crente não pode ser pobre, não pode adoecer e pode possuir tudo o que quiser, pois ele é “um Deus”! Julgam-se com autoridade suprema para decretar, determinar, exigir e reivindicar as promessas e bênçãos de Deus. À luz da Palavra de Deus, tal ensinamento equivale a orgulho, presunção e soberba. Tal ensino é contrário as Escrituras Sagradas. Isso é doutrina de demônio. Paulo deixou Timóteo em Éfeso para advertir alguns que não ensinem outra doutrina” (I Tm 1. 3).


2) Apostasia dos últimos dias. – Nos últimos dias, muitos abandonariam a fé em Cristo. “O Espírito Santo revelou explicitamente que haverá, nos últimos tempos, uma rebeldia organizada contra a fé pessoal em Jesus Cristo. Aparecerão na igreja pastores de grande capacidade e poderosamente ungidos por Deus. Alguns realizarão grandes coisas por Deus, e pregarão a verdade do evangelho de modo eficaz, mas se afastarão da fé e paulatinamente se voltarão para espíritos enganadores e falsas doutrinas. Por causa da unção e zelo por Deus que tinham antes, desviarão muitas pessoas.

Muitos crentes se desviarão da fé porque deixarão de amar a verdade (2 Ts 2. 10) e de resistir às tendências pecaminosas dos últimos dias. Por isso, o evangelho liberal dos ministros e educadores modernistas encontrará pouca resistência em muitas igrejas”.  (Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, p. 1870).



IV.       MENSAGEM PARA A LIDERANÇA


1)         Administração eclesiástica. – Em 1 Timóteo 3. 1 – 12 e em Tito 1. 6 – 9, vemos um verdadeiro conjunto de diretrizes para a ordenação de Obreiros ao ministério. Há dezesseis (16) qualificações para os Bispos ou Pastores e treze (13) para os diáconos.


2)    Ética ministerial. – Na segunda de Timóteo 2. 15, Paulo exorta o ministro a respeito de como se apresentar a Deus. Aqueles que são chamados por Deus para liderar parte de seu rebanho devem ser líderes de verdade. Nem todos sabem o que é ser líder. A verdadeira liderança estabelece-se pelo exemplo, pelo testemunho, muito mais do que pela eloquência, pela oratória ou pela retórica (Fp 3. 17; I Co 11. 1). O líder cristão não é o que manda. É que serve. Não é o maior. É o menor. Jesus deu precioso ensino sobre isso em Mateus 20. 24 – 28.        

“A liderança é essencial à vida e missão da igreja. Sem ela, a igreja tropeça e cai num curso incerto em sua peregrinação rumo a um lugar melhor. Sem liderança, a igreja não é capaz de cumprir seus propósitos de ministrar eficazmente aos de dentro e alcançar os de fora, nem pode render a Deus a glória de que Ele merece.

O pastor é a pessoa chamada para prover a liderança final da igreja, não importando o sistema administrativo dela. O sucesso da igreja depende em grande parte de sua capacidade de liderança.

Liderança é bíblica. A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas Escrituras. Assumir papel de líder na igreja de Deus e esperar que outros sigam seu exemplo não é egoísmo, autoritarismo, condescendência nem pecado. Temos certeza disso porque as Escrituras deitam as bases e os princípios da liderança cristã”. (MACARTHUR, John. Ministério Pastoral: Alcançando a excelência no ministério cristão. 7. Ed. Rio de janeiro; CPAD, 2012, pp. 294-5).

                                                  
Conclusão: - As cartas pastorais – escritas por Paulo e enviadas às igrejas de Éfeso e de Creta por mãos de Timóteo e de Tito, respectivamente – são verdadeiros manuais de Administração Eclesiástica. Elas contêm doutrina, ensino, exortações, quanto a assuntos práticos, mas, também, diretrizes gerais sobre liderança, designação de obreiros, suas qualificações, as responsabilidades espirituais e morais do ministério, o relacionamento com Deus, com os líderes e as relações interpessoais. São riquíssimas fontes de ensino precioso para edificação das igrejas locais, nos tempos presentes.

BIBLIOGRAFIA

ü   Bíblia de estudo Líder Pentecostal        
ü   Bíblia de Revelação Profética                        
ü   Bíblia de Estudo Plenitude           
ü   Bíblia de Estudo DAKE                          
ü   Bíblia de Estudo da Mulher
ü   As Ordenanças de Cristo nas Cartas Pastorais – Autor da Lição – Elinaldo Renovato de Lima.


Lição Elaborada pela Professora, Maria Valda   

Pastora- ADMEP
MARIA VALDA

   
           


Nenhum comentário:

Postar um comentário