OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

segunda-feira, maio 02, 2016

“ALIANÇA DAVÍDICA”



Rua, Visconde de São Leopoldo, 52 - Irajá, Rio de Janeiro - RJ

Departamento de Educação Cristã
Escola Bíblica Dominical



ALIANÇA DAVÍDICA”


Texto Áureo:

“E, estando reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus, dizendo: Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Eles disseram-lhe: De Davi.
Mateus 22. 41, 42



LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
II Samuel 7. 8 – 16




§     Palavra Introdutória – Após os primeiros 450 anos de fidelidade da parte de Deus e de infidelidade da parte do homem, Israel acrescentou mais um pecado a longa lista de transgressões contra a Lei de Deus. Israel se enfadou da sua relação de ser “sacerdote” em favor das demais nações e queria ser igual as outras. Não quiseram mais Jeová como Rei sobre eles, mas queriam um rei (homem) que se assentasse num trono de um palácio como as outras nações da terra. Mesmo assim, a paciência de Deus e a Sua Graça não se esgotaram, e Deus concedeu-lhes o seu pedido reservando para Si apenas o direito de escolher a esse rei. O primeiro rei foi a Nação que escolheu. Deus lhes deu essa oportunidade e não souberam escolher, pois olharam para a aparência e estatura de um homem e foram tremendamente enganados, (I Samuel 16. 7). O mal que Saul praticou e o desapontamento que causou a Israel, serviram para preparar o caminho para a coroação da escolha de Deus, Davi, filho de Jessé.

Com esse jovem, fez Deus Aliança, pois era “homem segundo o coração de Deus, e Deus prometeu-lhe que:  - (1) De sua semente viria o “Prometido”; - (2) O Messias sentar-se-ia no trono de Davi para sempre. Dessa maneira a promessa messiânica feita pela primeira vez em Gn 3. 15 e depois a Abraão, Isaque, Jacó e Judá, agora se concentrou na casa real de Davi.


Introdução: - Aliança Davídica: A Sétima Aliança. II Sm 7.  9 – 17, sobre o qual o futuro Reino de Cristo, “O qual Segundo a Carne veio da Descendência de Davi”.  (Rm 1. 3), devia ser fundamentado, dada a Davi:

1.           A promessa da posteridade na casa de Davi;
2.           Um trono simbólico de autoridade real;
3.           Um Reino ou Governo sobre a terra; e
4.           Certeza de cumprimento, pois as promessas a Davi “serão estabelecidos (as) para sempre”.


I.          A ALIANÇA DAVÍDICA 2 Samuel 7. 16; I Cr 17; 3 -15; Lc 1. 31 – 33.    Esta Aliança é EXCLUSIVA para os Judeus, e não tem nada a ver com a Igreja, porém, estaremos juntos com Jesus nesse tempo.

Do mesmo modo que a Aliança Abraâmica delineou as bênçãos espirituais, nacionais, territoriais e pessoais para Israel, a Aliança Davídica foi dada para elaborar o aspecto Nacional com referência ao Rei. Essa Aliança prometeu a Davi que os seus descendestes teriam os direitos do trono de Israel para sempre, e que a linhagem seria através de Salomão, o construtor do Templo. A importância disto deu base para Mateus provar no NT o direito de Jesus ser o “Rei de Israel” em virtude da sua genealogia através de José (legalmente), remontando-se à época de Salomão e Davi.

1.1.     Os versículos 8 a 17 do Capítulo 7 de II Samuel:

Relatam que Deus tez um pacto com Davi, no qual prometeu a ele e aos seus descendentes o trono e o reino para sempre. Citamos o Dr. Scofield: “Este pacto, sobre o qual o glorioso reino de Cristo da semente de Davi segundo a carne, será fundado, assegura:

1.1.1.           Uma “casa” a Davi, a saber: posteridade, família.
1.1.2.           Um “trono”, a saber: autoridade real.
1.1.3.           Um “reino”, a saber: uma esfera de governo.
1.1.4.           Perpetuamente, “para sempre”.

Esta Aliança quádruplo tem só uma condição: A desobediência na família de Davi será punida com castigo, mas não com a anulação do pacto (2 Samuel 7. 15; Salmo 89. 20 - 37; Isaías 53. 3). O castigo se impôs, primeiro na divisão do reino sob Roboão, e finalmente nos cativeiros (2 Reis 25. 1 – 7). - Desde esse tempo SÓ UM rei da Família Davídica foi coroado, e ele o foi com espinhos. Mas o pacto Davídico confirmado a Davi pelo juramento de Jeová e renovado a Maria pelo Anjo Gabriel é imutável (Salmo 89. 30 - 37), e o Senhor Deus dará ainda ao que foi coroado de espinhos o trono de seu pai Davi” (Lc 1. 31 – 33; Atos 2. 29 – 32).


II.            SÉTIMA ALIANÇA e a (Última Dispensação). Será no Milênio.

Esta Aliança é a que precede o Novo Céu e a Nova Terra. Neste período de 1.000 anos Cristo porá seus inimigos sob seus pés. (Ef 1. 10, 21; I Co 15. 24 – 28; Ap 20. 1 – 6).

2.1.     Se chamará o Reino Divino porque Cristo Reinará. - O qual Segundo a Carne veio da Descendência de Davi”.  (Rm 1. 3).


A.       Começará com a Vinda de Cristo em Glória. (Ap 19. 11 – 16; Mt 24. 16 – 30).

B.       Garante a restauração final e a conversão de Israel (Dt 30. 5; Rm 11. 26 -  32)

C.       Estabelece a perpetuidade da família Davídica (cumprida em Cristo, Mt 1.1.; Lc 1. 31 – 33; Rm 1. 3), e do reino Davídico sobre toda a terra, a ser cumprida em e Cristo (II Sm 7. 8 – 17; Zc 12. 8; Lc 1. 31 – 33; Atos 15. 14; I Co 15. 24).

D.       Terminará com o Juízo Final, ou Grande Trono Branco. (Ap 20. 11 – 15).

E.        Durará 1.000 anos. (Ap 20. 4 – 6).

F.        Ele, Jesus, é a “Semente”, o “Herdeiro” e o “Rei da Aliança Davídica” (Mt 26. 28; I Co 11. 25).


III.          CIRCUNSTÂNCIAS FAVORÁVEIS NESTA ALIANÇA


3.1.     Cristo reinará com ajuda dos santos, Is 4. 2,3; 9. 6 – 7; 11. 1 – 9; Jr 23. 5 – 8; Ap 11. 15.

3.2.     Satanás será amarrado no abismo, Ap 20. 1 – 13.

3.3. O governo será perfeito em Justiça. Não será Monarquia, nem Democracia, nem Autocracia, mas uma Teocracia. Os santos de todos os tempos e eras terão parte no Reino, (Oséias 3. 5; Jr 30. 9; Ez 34. 10).

3.4.  A terra estará livre da maldição que atualmente pesa sobre ela. Isaías 32; 33; Rm 8. 20 – 22). – É a Quinta Metamorfose da Terra: Terra Regenerada ou Restaurada (Is 65.  17 – 25; 11. 6 – 11). - Um “Rio” que nasce debaixo do Templo, de onde Cristo reinará, correrá e levará vida por onde passar, inclusive ao “Mar Morto”, e haverá muito peixe e árvores frutíferas, de todas as espécies. Ez. 47. 1 – 12.

3.5.  Haverá um só Reino que cobrirá toda a terra. Haverá uma única Capital, Jerusalém. Pecadores estarão no reino, mas estará obrigado a obedecer às leis do Reino. Isaías 2. 2 – 5; Sl 2. 7 – 9; Mq 4. 3; I Co 15. 25 – 28; Ap 20. 1 – 10; Zc 14. 16 – 21.

3.6.     Haverá um Novo Templo. Cristo será seu Construtor. Zc 6. 9 – 15. O Templo que os judeus construíram e que foi profanado pelo Anticristo será destruído na Batalha do Armagedom. 2 Ts 2; Mt 24. 15; Ap 11. 1 – 2.


IV.         A PROVA DA ALIANÇA SERÁ


4.1.     Recepção de Cristo como rei da Vida Natural e na alma para a vida Espiritual e eterna.


4.2.     Obediência às leis divinas do Governo divino. O Diabo será solto no fim desta Aliança (Dispensação) para provar a Humanidade (Ap 20. 7). A humanidade nesta Aliança terá que ser provada, como nas outras Alianças e Dispensações anteriores.


4.2.1.           Fracassos

Como nos períodos anteriores esta Aliança terminará em fracasso. Quando Satanás for solto, muita gente que aparentemente obedecia às leis divinas, se unirá ao Diabo para o último confronto e esforço para vencer a Cristo, filho de Davi.

4.2.2.           O Juízo - (ou Castigo de Deus)

O juízo será que eles (os rebeldes) serão destruídos no corpo e irão ao Grande Trono Branco para serem julgados e lançados no Lado de Fogo para Sempre. O Diabo também será lançado no Lado de Fogo (Ap 20. 10 – 15).

4.3.     A Segunda Ressurreição

A Segunda ressurreição acontecerá no fim do Período desta Aliança (Período Milenial) e antes do Juízo Final. Aí estarão todos os mortos desde Adão até o fim desta Aliança e Dispensação, Fim do Milênio, que morreram sem salvação (Ap 20. 4 – 6; 11. 15; Jo 5. 28 – 29; At 24. 15; Dn 12. 2). Todos estes ressuscitados comparecerão diante do Grande Trono Branco para receberem a Condenação Final. E é daqui para frente que começa:


4.3.1.           Novo Céu e Nova Terra

Depois do Juízo diante do Grande Trono Branco e da destruição do primeiro Céu e da Primeira Terra, João escreve em Apocalipse 21. 1 sobre essa grande realidade da última mudança que Deus fará no UNIVERSO.

4.3.2.           A Nova Jerusalém

Em Apocalipse 21. 2, João escreve sobre a Nova Jerusalém. E na visão do apóstolo essa cidade aparentemente já existia durante o período prévio ao Milênio. Não se sabe onde estava situada, mas a visão diz que desceu do Céu de Deus. E começa a:

4.4.              A Eternidade: - Com o fim do Milênio e depois do Grande Trono Branco começará uma era sem fim, a Eternidade. (Ap 21. 2 – 22.1). -  Será um Período Especial e Eterno, onde O Ungido (hb. Mashiach) o único rei davídico ideal, que incorporará de modo adequado o reinado justo de Deus, por toda Eternidade, - CRISTO, O FILHO DE DAVI. (Mt. 1.1). Glória a Deus!!



Conclusão: - Então se cumprirá a palavra do Anjo Gabriel a Maria, em Lucas 1. 32, 33. “... Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai; (v. 32) ele reinará para sempre sobre a Casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim”.


Cristo, o Filho de Davi, nos ajude, estar com Ele, nesse Reino Eterno de Glória!





                                         Aula Elaborada, pela professora,
                                               Pra. Maria Valda – ADMEP

Material Pesquisado:
ü   Apostila: As Dispensações e as Alianças aos Homens – Prof.ª Maria Valda.
ü   Apostila: Dispensações e Alianças do Professor, Adaylton de Almeida Conceição.
ü   Apostila: O Plano Divino Através dos Séculos, Pr. Professor: Gustavo Adiers.
ü   Livro por Livro Através da Bíblia – Ed. Vida. Myer Pearlmam.
ü   Bíblia de Estudo com as Referência e Anotações de Dr. C.I Scofield.
ü   Apostila ao Evangelho de Mateus – Professora, Maria Valda
ü   Lição da editora Gospel                                                                                                     
ü   Comentarista, Pr. Samuel Malafaia





Um comentário:

  1. A paz Pastora, gostaria de tirar uma duvida a aliança davidica se estende a Israel na parte reino fisico e a igreja na parte Espiritual atraves de Cristo, entao nao podemos afirmar que a aliança davidica estende somente a Israel.

    ResponderExcluir