OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

segunda-feira, maio 22, 2017

A IGREJA DO SÉCULO 21



Assembléia de Deus Ministério Estudando a Palavra

Pastora Maria Valda



A IGREJA DO SÉCULO 2
 1 Timóteo 4.1,2


Introdução: Relativismo moral, corrupção, incertezas, tem sido o império das trevas aparentemente ganhando forças, tem sido o cenário do presente século 21. Como responder as questões do nosso tempo? Como Igreja de Cristo deveríamos ser a solução onde os sistemas mundanos falharam? Será que a nossa missão é mudar o sistema? O Ministério da Reconciliação dado a Igreja através da pregação do Evangelho é carregado de graça e verdade, misericórdia, justiça e juízo. Parafraseando Jacques Ellul: A mensagem do Evangelho apresenta O totalmente Outro, portanto não vai dar certo no mundo. Os principais mensageiros de Deus foram assassinados pelo sistema desse mundo. Temos que manter a nossa responsabilidade profética e há muitos desafios como Igreja, mas de tudo que precisamos fazer a princípio é:

   Discernir o presente século andando como sábios, remindo o tempo;
   Compreender qual a mensagem do Espírito para o nosso tempo: “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas...”
   Conhecer e atuar no poder que temos em Cristo como Igreja para cumprirmos nossa missão.


I.    DISCERNINDO O NOSSO TEMPO

1)       O Senhor Jesus exortou os do seu tempo por sua hipocrisia e insensatez: “Hipócritas! Sabeis muito bem interpretar os sinais da terra e do céu. Como não conseguis discernir os sinais do tempo presente? ” (Lucas 12.56 KJA).

2)           Características da Igreja do século 21. (1 Tm 3.1-9)

Neste texto podemos perceber que a construção social da cultura ocidental impulsiona o homem a ser exatamente conforme foi descrito por Paulo há tanto tempo. Vejamos algumas das características que Paulo descreve e vejamos se ela se encaixa na nossa realidade:

   Egoístas (amantes de si mesmos): O dicionário nos mostra que "egoísmo" é o "amor exclusivo à pessoa e aos interesses próprios". Ou seja, é a preferência do "eu" ao invés do todo. Será que precisamos de alguma prova que somos todos egoístas? No tempo dos apóstolos em Atos a palavra nos mostra que "todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum" Atos 2:44. As características da Igreja são avessas aos interesses próprios, pois o nosso interesse é fazer a vontade de Deus e não a nossa.

 Avarentos: O dicionário nos diz que "avareza" é o "apego sórdido ao dinheiro para o acumular" e ainda é a "falta de generosidade". Infelizmente a avareza também já faz parte nas nossas comunidades e denominações. Nos tempos de Jesus ele limpou o templo com um azorrague e certamente limpará também nos nossos dias. O que verdadeiros cristãos fazem com seu dinheiro: "Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade" Atos 2:45."Não podeis servir a Deus e às riquezas" Mateus 6:24.

 Presunçosos: Os presunçosos são pessoas que demonstram excessiva confiança ou orgulho exagerado em si mesmos. Eles confiam em si e não são humildes ou modestos, mas são excessivamente arrogantes e desprezíveis não considerando as outras pessoas. Uma outra tradução para esta característica é exatamente a arrogância.

    Soberbos: De igual modo, os soberbos são altivos, orgulhosos e arrogantes. Porém esta atitude está mais ligada ao fato dessas pessoas se consideraram melhor que as outras. O soberbo sempre exige o melhor lugar, a melhor companhia, o melhor de tudo. É a exaltação do eu em detrimento do meu próximo.

   Blasfemos: Os blasfemos são aquelas pessoas que enchem a sua boca de violência, crueldade, insultos ou são rudes no falar. Que mentem, são dissimulados, caluniadores e difamadores. Quem anda na direção do Espírito é diferente (Pv 10:31-32; Mt 12:34). Ou seja, aquilo que falamos representa quem somos.

    Desobedientes a pais e mães:  O século nos ensina que os nossos pais são velhos e não entendem os novos tempos e as novas ideias. A bíblia, porém, nos ensina o contrário: ela nos ensina a honrar nossos pais (Ex 20:12).

 Ingratos: Para entendermos a ingratidão é necessário compreender a gratidão. A gratidão é o sentimento de lembrança e agradecimento por algo realizado em relação àquele que realizou o ato. As festas judaicas eram para lembra o povo os feitos do Senhor. Hoje temos a Ceia do Senhor como memorial. Só vão para o inferno os ingratos que não receberam com gratidão a salvação de Deus!

   Profanos: Os profanos são aquelas pessoas que não se importam com a santidade ou em se santificarem a Deus. São pessoas que vivem suas vidas despreocupadamente em seus delitos e pecados diariamente. Elas são pessoas normais como eu e você, mas desprezam viver uma vida de oração e de leitura da palavra de Deus. Eles até sabem da importância de viver dessa forma, mas não se importam em viver do seu próprio modo seguindo suas próprias paixões.

  Sem afeto natural: O original grego nos revela o sentido de uma pessoa insensível e desumana. Em nosso tempo o capitalismo selvagem nos torna pessoas assim. Hoje vemos que somos demasiadamente desumanos e insensíveis com as pessoas. Parábola do bom samaritano, o nosso próximo são todas as pessoas à nossa volta.

  Irreconciliáveis: Os irreconciliáveis são aquelas pessoas que, caso tenham alguma desavença com alguém, se recusam fortemente a se reconciliar por motivos fúteis. São implacáveis e não tornam atrás em suas decisões. É uma característica clara daqueles que não possuem o fruto do Espírito.

  Caluniadores: Os caluniadores são aqueles que acusam falsamente e são encrenqueiros buscando sempre uma confusão, bate-boca ou complicações.

   Incontinentes: Os incontinentes são pessoas que não possuem moderação ou não se contém. Está relacionado a falta de moral e a uma conduta degradante da pessoa. É o contrário do domínio próprio, que é parte do fruto do Espírito. 

 Cruéis: O sentido no original grego para os cruéis está mais amplo. O sentido é de uma pessoa incontrolável, selvagem e feroz. Que naturalmente machuca as pessoas à sua volta sem se preocupar. 

     Sem amor para com os bons: Aqui o sentido é exatamente este mesmo. São pessoas que não se alegram com aqueles que estão cheios de Deus ou que fazem o bem. Talvez por motivos interesseiros ou por inveja e ganância. Infelizmente isso também acontece com grande frequência. 

  Traidores: A traição é a maior prova da falta de caráter de uma pessoa. Demonstra que somos pessoas invejosas, orgulhosas e que não nos importamos com as pessoas ao nosso redor. 

 Obstinados (precipitados, imprudentes): A tradução em português trouxe "obstinado", mas o sentido não é este. O melhor sentido para esta característica é precipitado, imprudente. Pessoas que não consideram antes de fazer alguma coisa ou de tomar alguma posição.

   Orgulhosos: Os orgulhosos também são pessoas presunçosas e soberbas que se julgam melhor que os outros. Porém esta característica vai um pouco além das duas anteriores. O sentido no original grego é de alguém tão orgulhoso que este orgulho o faz cegar em densas trevas. Ou seja, por se tornar uma pessoa orgulhosa, estas pessoas não conseguem se desvencilhar em uma névoa de orgulho que os cobre e cega.

      Mais amigos dos deleites do que amigos de Deus: Hoje vemos que a maioria das pessoas se entrega a muitos prazeres em detrimento de se entregarem a Deus e ao Espírito Santo, Talvez essa seja uma das grandes características do nosso tempo.

      Aparência de piedade, mas negando o seu real poder: Aqui é um dos pontos culminantes pois fala de hipocrisia e falsidade, e na sequência do texto (v.6) mostra um tipo de gente que se aproveita de pessoas também cheias de desejos promíscuos e mergulham nessa podridão. São os falsos profetas e mestres interesseiros.

 Sempre aprendendo, mas jamais conseguem chegar ao conhecimento da verdade: São pessoas que ouvem, ouvem e ouvem a Palavra mas não tem efeito, pois o conhecimento da verdade liberta (Jo 8.32)


Agora vejamos o que o Espírito tem a dizer em sua totalidade a essa Igreja.


II. O QUE O ESPÍRITO TEM A DIZER PARA A IGREJA NO PRESENTE SÉCULO?

O Apocalipse nos apresenta em seus três primeiros capítulos a mensagem do Espírito de Cristo às Sete Igrejas da Ásia Menor. Sabemos que a mensagem a princípio foi para aquelas igrejas do passado, mas que em sua totalidade compreendemos também que fala as igrejas do nosso tempo. Sete pecados e sete virtudes foram reveladas pelo Espirito em Apocalipse 2 e 3 e sete vezes aparece: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz às Igrejas...”:



Resultado de imagem para as sete cartas e sete igrejas 


 Resultado de imagem para as sete cartas e sete igrejas


Sete pecados que a Igreja não deve cometer

1º)      Tradicionalismo
2º)      2º Covardia
3º)      Heresia
4º)      Idolatria
5º)       Hipocrisia
6º)      Intolerância
7º)      Soberba

Sete virtudes que a Igreja deve manter

1)           Amor
2)           Fidelidade (Martírio)
3)           Amor a Verdade
4)           Abnegação
5)           Autenticidade
6)           Misericórdia
7)           Humildade

Agora vejamos que poder temos como Igreja de Cristo para vencer.


III.          COMO IGREJA, QUE PODER ATUA EM E ATRAVÉS DE NÓS?


Ao orar pela igreja de Éfeso o apóstolo Paulo deixou explicito o que a Igreja precisa saber sobre a sua vocação e sobre o poder que em nós opera (Ef 1.16-20).

1) Uma oração para termos revelação. Paulo ora para que tenhamos um espírito de sabedoria e revelação e para que os olhos do nosso coração sejam iluminados para que saibamos qual é a esperança do chamamento de Deus, a riqueza da glória da herança de Deus nos santos e a suprema grandeza do poder de Deus para conosco, os que cremos (Ef 1:17-23):

    Temos de ser amigo de Deus, pessoas que entendem o Seu coração; temos de ver, conhecer e ter a visão da eternidade, uma visão que nos apanha e captura com tal intensidade que vivemos a vida da eternidade e fazemos a obra da eternidade (Gl 1:15-16; 2:20; 4:19; 1Co 2:9-10; 6:17; 15:10; 16:10).

  A esperança do chamamento de Deus é “Cristo em vós, a esperança da glória” (Cl 1:27). A esperança do chamamento de Deus é a consumação final do nosso desfrute de Cristo, que será a transfiguração do nosso corpo e a manifestação dos filhos de Deus (Ef 4:4; Fp 3:21; Rm 8:19, 23-25).

       A riqueza da glória da herança de Deus nos santos - fala de Deus nos selar Consigo mesmo para nos tornar a Sua herança para o Seu desfrute e de Deus Se dar como penhor a nós para se tornar a nossa herança para o nosso desfrute (Ef 1:11, 13b-14, 18). A glória de Deus tem sua riqueza, que são os diversos itens que constituem os atributos divinos de Deus, tais como luz, vida, poder, amor, justiça e santidade, expressados em graus diferentes.

       A suprema grandeza do poder de Deus – o poder de ressurreição, poder de ascensão (transcendente), poder de sujeição (subjugador) e poder de encabeçamento (governante) – opera “em nós”, é “para conosco, os que cremos” e é para “a igreja” (Ef 3:20; 1:19-23).


Como Igreja fomos chamados acima de tudo a transmitir a Glória e a Vida de Deus!


Conclusão:  Como Igreja do século 21 precisamos avançar pois a Vinda do Senhor está próxima. Que não sejamos o cumprimento das profecias negativas e sim aqueles que venceram pelo Sangue do Cordeiro, pela Palavra do seu testemunho e que não amaram as suas vidas até morte (Ap 12.11).


Que Deus nos abençoe,
   Professor, José Fábio


A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, área interna




Um comentário:

  1. Louvo a Deus pela vida desde servo de Deus, tornou-se meu aluno assim que aceitou Jesus, ano de 2004, em 2005 ele se tornava meu aluno... Estudou comigo (8) oito anos ininterrupto, foi meu melhor aluno...
    Hoje tenho a satisfação de tê-lo como meu professor da nossa igreja ADMEP, ele é uma benção, a cada dia se esmera mais e mais na Palavra de Deus...
    Ele ama e vive a Palavra de Deus.

    Jesus continue te abençoando José Fábio.
    E que muitos alunos seus, siga seu exemplo de vida.

    Sua humilde Irmã e ex Professora, Pastora, Maria Valda

    ResponderExcluir