OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

quinta-feira, junho 05, 2014

PÓS-MODERNIDADE: VIVA MELHOR POIS DEUS NÃO EXISTE E A BÍBLIA É UMA GRANDE MENTIRA!



Pós-modernidade: Viva melhor pois Deus não existe e a Bíblia é uma grande mentira!


Trocaram a verdade de Deus pela mentira… (Rm 1:25).


Afinal não é isso e muito mais que ouvimos todos os dias na sociedade que vivemos, não são esses os sussurros das mídias de entretenimento como novelas, filmes, seriados e reality shows? Na esfera política elaboram leis libertinas figurando uma sociedade lasciva, irreverente e cada dia mais distante de Deus. Não é esse o estilo de vida que a brilhante mente humana, evoluída e esclarecida alardeia em todos os segmentos do mundo em que habitamos? É a pós-modernidade que nos diz por todas as formas de comunicação em alto e bom som as seguintes premissas:
Invalide em você o cristianismo e sua mensagem, afinal você é inteligente demais para acreditar nessas “baboseiras milenares”.

Não frequente uma igreja, fique em casa, abandone a bíblia e torne-se ateu.

Se insistir em ser um cristão, que seja educado e nunca pregue esse Evangelho que confronte o que os fundamentalistas chamavam de pecado, fale só de amor e compreensão para qualquer vício ou prática.

Não se iluda com casamento, pois não existe mais; agora são parceiros e parceiras que necessariamente não precisam mais constituir uma família, agora o antigo padrão é substituído pela nova visão social.

Rompa os padrões do século XX e varie sexualmente com outro parceiro do mesmo gênero para se relacionar.

Torne-se alcoólatra, chegue a dependente químico e para isso comece inalando maconha e aspirando fumaça de baseados que lhe farão sentir-se bem.

Seja uma ativista de minorias, faça protestos no congresso nacional, invada cultos para garantir seus direitos sexuais, fique nu em grandes eventos religiosos, discrimine os cristãos, chame-os de homofóbicos – e importante – faça-se de vítima que merece respeito e total aceitação por agir assim.

Priorize estudos, trabalho, pense só em você, ganhe muito dinheiro, faça fortuna e fique rico.

Seja superior, humilhe os outros, não leve desaforo pra casa, seja altivo e senhor de si mesmo.

Conte mentiras, engane, se envolva em trapaças e fraudes, aproveite-se do próximo.

Seja astuto, hipócrita, avarento, seja indecente e faça tudo para conseguir o que quer.

Venda a alma se acreditar que tem uma e como recurso final obtenha o aclamado sucesso.

Embora conheçam o justo decreto de Deus, de que as pessoas que praticam tais coisas merecem a morte, não somente continuam a praticá-las, mas também aprovam aqueles que as praticam (Rm 1:32).

Se você tem mais de 35 anos e é observador do mundo (tempo) em que vive, algumas coisas no campo comportamental e dos valores sociais devem inquietá-lo pela transformação e modificações radicais que ambos sofreram acentuadamente nos últimos 25 anos. Todo o grande conjunto de novidades trazido pela multiplicação da ciência, avanços tecnológicos, descobertas biomédicas, exploração espacial, globalização, economia de blocos e, sobretudo a manifestação da nova consciência da pós-modernidade (eu sugiro que você estude sobre esse termo “pós-modernidade” e seus fatores e conceitos históricos, filosóficos e sociológicos) fazem-nos ficar perplexos diante do que estão construindo para o futuro. Parece que inverteram tudo, é como se tudo agora fosse ao contrário de forma que o errado é certo e correto tornou-se incorreto.

O pós-modernismo se preocupa muito com o presente, onde muitas vezes ocorrem problemas porque, como ele seduz a massa, o indivíduo é “obrigado” a consumir, movido pelo domínio da sedução que o envolve. São grandes as quantidades de informações que o pós-modernismo traz, sendo que na maioria das vezes inúteis, pois os indivíduos tornaram-se passivos, dependentes da tecnologia e da mídia, inseguros e limitados em seus desejos, porque a mídia, a propaganda, a moda determina seus limites. Os “valores” são muitos, as variedades são diversas, para todos os gostos e vontades, e a ideia é realmente criar um mundo sem limites, e voltado para o prazer do consumo. Deste modo só o presente é importante, pois os valores são o que está acontecendo e não o que foi, ou melhor, o que já se passou. Não há diferenciação entre religião, política, ideologias, família, etc., o pós-modernista crê na realização pessoal, o neo-individualismo. O indivíduo se torna narcisista e é atingido pela dessusbstancialização, falta de identidade, onde tudo é descartado, o que prevalece é o modismo e as vontades de cada um.

Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos (Rm 1:22).

Não eduque mais seus filhos dando-lhes palmadas como reprimenda e menos ainda deferindo-lhe com amor algumas varadas como instrução conforme orientou o sábio. Descarte falar com eles sobre os ensinos claros das Escrituras sobre pureza sexual, a vileza da fornicação, a perdição dos vícios alcoólicos e dos entorpecentes, pois se assim proceder você será mais um “ultrapassado” que por certo será duramente criticado por alguns políticos, educadores, psicólogos e sociólogos de “mente aberta” e que sabem o que é melhor para a sua família e descendência. Na verdade família também carece ser redefinida nos “tempos áureos” que vivemos, pois os papéis biológicos e de composição da estrutura familiar constituída outrora por pai, mãe e filhos já não vale mais.
Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam (Rm 1:28).

 Fonte:  http://colunas.gospelmais.com.br/deus-nao-existe-biblia-e-uma-mentira-e-voce-precisa-ser-feliz_9545.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário