OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

domingo, agosto 23, 2015

“APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS”

ADMEP – ASSEMBLEIA DE DEUS MINISTÉRIO ESTUDANDO A PALAVRA
Departamento de Educação Cristã

Escola Bíblica Dominical


TEMA


APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS


HOMENS QUE ESTÃO FAZENDO A HISTÓRIA ATRAVÉS DA PALAVRA DE DEUS 


Texto Áureo:

“Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.”
(2 Tm 2. 15)


Verdade Prática:

O Obreiro aprovado por Deus tem as marcas do Senhor Jesus Cristo.


Leitura Bíblica em Classe

2 Timóteo 2. 1 – 18


Objetivo Geral: - Contrastar o obreiro aprovado e o “vaso de honra” com os falsos mestres.


 Objetivos Específicos: -

1.            Apresentar a pureza e a humildade do obreiro aprovado por Deus.
2.            Explicar as expressões “vaso de honra” e “vaso de desonra”.
3.            Propor uma postura ministerial equilibrada.



Introdução: -  Na lição de hoje estudaremos alguns temas importantes que são relatados no segundo capítulo da Segunda Carta de Paulo a Timóteo. Paulo fala, além do que vimos na Leitura Bíblica em Classe, a respeito do obreiro aprovado e dos vasos de honra na Casa do Senhor (2 Tm 2. 19 – 21). Ele faz um contraste com os falsos mestres que tanto prejudicavam a obra do Senhor em Éfeso.

Que sejamos sempre vasos de honra, servindo ao Senhor com amor e zelo, a fim de que muitas vidas sejam ganhas para o seu Reino e que sua Igreja seja edificada.


I.         OBREIROS APROVADOS POR DEUS

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2 Tm 2. 15). São várias as características marcantes de um “obreiro aprovado” por Deus. No texto, Paulo apresenta duas qualificações que são fundamentais e indispensáveis para essa aprovação.


1.  Pregam e ensinam sem engano. (v. 15). Timóteo deveria procurar apresentar-se a Deus aprovado. Seus esforços teriam de estar concentrados em se tornar um obreiro que não tem de que se envergonhar. E fazer isso como alguém que maneja bem a palavra da verdade. Esta última expressão significa ministrar as Escrituras corretamente, “seguir à risca”, ou como Alford coloca: “Manejar corretamente para tratar a verdade completa sem falsidade”. [Hery Alford, The Greek Testament, III: 384].  


A antítese dos falsos ensinadores são os obreiros que trabalham arduamente na obra de Deus; um bom obreiro que ensina corretamente a palavra da verdade será o mais eficaz silenciador dos falsos ensinadores.


2.       Pregar com pureza - “A palavra da verdade”. É a verdade que define a natureza das Escrituras. A Palavra de Deus é um farol irradiando a luz da verdade, em meio à escuridão de todo tipo de engano e mentira. Por isso, o mestre ou instrutor da Palavra deve fazer o possível para saber utilizar a verdade de Deus com toda a exatidão. Não fazê-lo com prudência e discernimento é arriscar ser levado a juízo. (Tg 3. 1).  


(V. 16) “Falatório inúteis e profanos” são ensinamentos irreverentes, maldosos e inúteis, eles não são proveitosos para o povo de Deus e deveriam ser evitados. Timóteo não é orientado a combater esses ensinamentos, mas a tratá-los com desprezo e nem sequer dar-lhes atenção.


3. Não buscar a glória de homens. – “E, não buscamos glória dos homens”. [...] (I Ts 2. 6). Estava com os tessalonicenses, ele afirmou que não buscou o elogio deles. “O obreiro aprovado pelo Senhor busca apontar tão somente o Senhor, e não ele mesmo”.



   SÍNTESE DO TÓPICO I:  - O obreiro aprovado por Deus prega e ensina sem engano, com pureza e humildade, buscando sempre a glória de Deus.


 
II.       OS DOIS TIPOS DE VASOS - (2. 20, 21).

Nesta metáfora, entendemos que a grande casa se refere ao cristianismo em geral. No sentido amplo, cristianismo inclui os cristãos verdadeiros e que assim se declaram, ou seja, aqueles que são realmente nascidos de novo e os que são apenas chamados cristãos.  

1.  Vasos de honra - (2. 20). – “Vasos de ouro e de prata” (RC) se referem, portanto, aos cristãos de fato. O Líder como “vaso”, deve ser puro (2 Tm 2. 20 – 22).


“Vasos de madeira e de barro” não se referem aos cristãos em geral, mas àqueles em particular que eram obreiros perversos e que ensinaram falsas doutrinas, como Himeneu e Fileto (v. 17).         

2.   Vasos de desonra. Quem são estes? – Se um homem se mantém livre de más associações, será vaso para honra. (RC). Deus pode usar apenas os vãos limpos para o santo serviço: “... purificai-vos, os que levais os vasos do Senhor” (Is 52. 11). Tal homem será santificado no sentido de que será separado do mal para o serviço de Deus. Ele será útil para o Senhor. (NVI) – uma qualidade a ser grandemente desejada por todos aqueles que amam o Senhor. Finalmente, ele estará preparado para toda boa obra. Ele estará pronto para ser usado a qualquer momento e do modo que seu senhor determinar.

Enquanto os vasos para desonra se referem a homens como Himeneu e Fileto, os falsos mestres. Os vasos de honra são “o trigo” e os “vasos para desonra” são o “joio” a que se referiu Jesus (Mt 13. 24 – 30).


        SÍNTESE DO TÓPICO II: - Na igreja local, há dois tipos de vasos, de honra e desonra.


III.   REJEITANDO AS DISSENSÕES E QUESTÕES LOUCAS 
     (V. 23).


1. Rejeitando “questões loucas”. – O que eram as “questões loucas”? Eram as questões levantadas pelos falsos mestres, que traziam confusão e não edificavam ninguém. (I Tm 3. 6,7).  O obreiro deve rejeitar questionamentos que não edificam (2 Tm 2, 23).  Tais questões se originariam de mentes ignorantes e sem instruções e não trariam nenhum benefício e deveriam ser refutadas porque somente geram contendas.  É desnecessário dizer que essas questões não estão vinculadas aos grandes fundamentos da fé cristã; são problemas tolos que conduzem apenas à perda de tempo, à confusão e à discussão.


2.     Não entrando em contendas- (V. 24). “Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender...”. O “servo” do Senhor é literalmente o escravo do Senhor. É adequado o uso desse título em um versículo em que se incentiva a bondade e a paciência.

Embora o servo do Senhor deva lutar pela verdade, não deve, porém, ser briguento ou discutidor. Ao contrário, ele deve ser brando para com todos e se aproximar dos homens com o propósito de instrui-los, e não de vencer uma discussão. Ele deve ser paciente com aqueles que demoram a entender e até mesmo com aqueles que parecem não dispostos a aceitar a verdade da Palavra de Deus.


(V. 25) - O servo de Deus deve exercitar a humildade e a mansidão ao tratar com aqueles que resistem (RC). Uma pessoa comete injustiça contra a própria alma ao recusar-se a se submeter à Palavra de Deus. Tais pessoas precisam ser corrigidas, senão prosseguem ignorantes, com ideia equivocada de que suas ideias estão em concordância com as Escrituras.


   SÍNTESE DO TÓPICO III: - A natureza dos demônios declara que eles são seres criados, limitados, espirituais, malignos e imundos.


f  CONCLUSÃO: - Na administração das igrejas, por vezes, surgem conflitos de ordem espirituais e doutrinária. Por isso, os líderes precisam de preparo bíblico e teológico. Como obreiros aprovados devem conduzir o rebanho do Senhor. Seja você um vaso de honra na Casa de Deus.



Bibliografias de Pesquisas:


§    Bíblia da Liderança Cristã – SBB
§    O Novo Comentário Bíblico Novo Testamento – Ed. Gospel
§    Comentário Bíblico Popular – Novo Testamento.
§    Comentário do Novo Testamento – Aplicação Pessoal – CPAD.
§    As Ordenanças de Cristo nas Cartas Pastorais – 
    Comentarista Elinaldo Renovato de Lima.
§    Revista: Lições Bíblicas – A Igreja e o seu Testemunho.  CPAD



                                                   Lição Elaborada pela Professora,
                                                              Pastora, Maria Valda.


Pastora da ADMEP

VENHA A ESCOLA DOMINICAL

Rua, Indaiatuba, 191, Irajá - RJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário