OBRIGADA POR SEGUIREM O MEU BLOG

sábado, dezembro 01, 2012

APASCENTANDO O REBANHO DE DEUS




1 – O MINISTÉRIO É DADO POR DEUS
O rebanho de Deus é composto de muitas ovelhas, de talentos e temperamentos diversos, e o requisito fundamental para o seu funcionamento adequado é um espírito de humildade e de tolerância mútua das ovelhas entre si. Por isso, Tendo em vista o aperfeiçoamento das ovelhas e o bom desempenho do rebanho como um todo, “Ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores” (Ef 4.11). Entretanto, “Ninguém deve tomar para si esta honra, senão o que for chamado por Deus” (Hb 5.4).
A palavra direta de Jesus ao apóstolo Pedro foi: "Apascenta minhas ovelhas", Jo 21.16. Seguindo o exemplo do Mestre, o apóstolo Paulo exortou com veemência aos obreiros em Éfeso: "Apascentai o rebanho de Deus", At 20.28.
Em 1 Pe 5.2.4, o apóstolo Pedro demonstra que o pastor verdadeiramente fiel faz seu trabalho com espírito voluntário e não por obrigação. Nem visa somente os lucros materiais, mas tem gozo em poder realizar a obra do Senhor. Deve também olhar para a cruz e não para o dinheiro, porque a recompensa vem no seu devido tempo.
Espera-se de um pastor um posicionamento ministerial equilibrado. Não convém agir como déspota ou ditador, que meramente "manda" e não cuida e nem guia. Mas a recomendação bíblica é: "tendo cuidado dele” (do rebanho de Deus).
Outro fator importante para o ministro de Deus é saber governar bem a sua própria casa, que, por certo, lhe dará experiência para cuidar bem da igreja de Deus. Embora muitos obreiros se recusem a dar atenção a essa recomendação bíblica de 1 Tm 3.4,5. Todavia, o ensinamento ali encerrado nos leva a entender que a nossa casa se governa, mas a "casa de Deus" se tem que ter cuidado.
A confiança do pastor deve estar plenamente depositada no Bispo de nossas almas, que o chamou para esta importante tarefa, sabendo que o mesmo trará o galardão do trabalho, no tempo próprio.
2 – CONHECENDO AS OVELHAS DO REBANHO
É preciso ter conhecimento das ovelhas. Veja o que diz as Escrituras em Pv 27.23: "Procura conhecer o estado das tuas ovelhas". No capítulo 34 de Ezequiel, encontramos alguns tipos mais freqüentes de ovelhas. Ei-las:
a) OVELHA PERDIDA
A pessoa que ainda não se converteu e precisa ser alcançada pela pregação da Palavra de Deus.
b) OVELHA DESGARRADA
Aquele crente que sempre se desvia e precisa ser assistido constantemente, o que pode ser feito através de aconselhamento pastoral ou em visita a seus lare.
c) OVELHA QUEBRADA
O crente com vícios e manias, que nunca se ajusta ao modo de vida da igreja. Infelizmente existem em grande número em nossas igrejas.
d) OVELHA ENFERMA
O crente que tem problemas espirituais de toda ordem, fraquezas, mágoas ou pecados ocultos, que precisa ser tratado e acompanhado com amor pelo pastor local. A palavra enferma como aparece no texto mencionado acima, indica: "estado permanente". De sorte que não basta apenas um tratamento superficial e, sim, um cuidado todo especial até que o mal seja totalmente sanado na vida da ovelha.
e) OVELHA FRACA
Podemos dizer que é aquele crente de pouca fé, desnutrido espiritualmente, ou seja, carente da Palavra de Deus, que é o pão escrito. Geralmente esse crente é incapaz de avançar na vida cristã e não possui nenhuma resistência, quando enfrenta o menor entrave, logo fracassa.
f) OVELHA GORDA
O crente que se acha auto-suficiente, segundo seus pensamentos não precisa de ninguém, muito menos do pastor da igreja. É soberbo, orgulhoso e prepotente. Todavia, carente da graça de Deus e precisa de nosso amor e compreensão, afim de que reconheça a necessidade de se aproximar de Deus. O Salmo 138.6, diz: "Ainda que o Senhor é excelso, atenta para o humilde, mas o soberbo conhece-o de longe.
g) OVELHA FORTE
Esse tipo de ovelha não tem nada a ver com o crente forte espiritualmente. Mas que se acha forte segundo os preceitos deste mundo, muitas vezes é violento, provocador, e bem armado, só que com as armas da carne. Na verdade, como afirmou o pastor Antônio Gilberto é integrante do "ministério da guerra" e jamais exerce o "ministério da reconciliação".
3 – OVELHA SATISFEITA É A RECOMPENSA DO MINISTÉRIO PASTORAL
No conhecido salmo 23, lemos a seguinte afirmação: "Deitar-me faz em verdes pastos". Segundo a afirmação de muitos ovinocultores, que o fator mais estranho com relação às ovelhas que, por sua própria constituição, é quase impossível deitar-se, a menos que se satisfaçam quatro condições.
3.1 – A OVELHA NÃO SE DEITA SE TIVER TEMORES
Sabe-se que as ovelhas são animais medrosos e se assustam facilmente, pois até um coelho que salta de repente de trás de uma moita pode provocar uma correria no rebanho. Quando uma ovelha sai em disparada, dezenas de outras correrão com ela, numa debandada cega, sem procurar ver o que provocou o susto. Mesmo que seja uma leve sombra de suspeita que exista um perigo iminente, provenientes de cães, coiotes, onças, ursos ou qualquer outro tipo de animal, as ovelhas se levantam prontas para fugir. Elas possuem pouca ou nenhuma defesa e são totalmente desprovidas de resistências em si mesmas, tendo como único recurso o ato de fugir. E somente se sentem seguras e tranqüilas com a presença de seu pastor. Que gloriosa verdade para o Obreiro. Que exemplo para o homem de Deus! Ele deve sempre transmitir segurança e tranqüilidade ao seu rebanho, sempre o defendendo das forças inimigas que rodeiam o redil.
3.2 – A OVELHA NÃO SE DEITA SE FOR ATACADA POR INSETOS
Principalmente no verão as ovelhas são afligidas por insetos, carrapatos moscas de todas as espécies. Quando se sentem atormentadas por esses insetos é virtualmente impossível para elas aquietarem-se ou mesmo se deitarem. Ficam sempre em pé, sacudindo as pernas, abanando a cabeça, sempre querendo correr para o mato em busca de alívio. Somente o cuidado diligente do pastor evitará esse terrível distúrbio para o rebanho. Um bom pastor aplica vários tipos de repelentes de insetos no pelo das ovelhas.
Ele deve cuidar para que as mesmas sejam mergulhadas numa solução própria para matar carrapatos que se apegam à lã. E cuidará para que estejam sempre perto de arvoredo onde, por certo, poderão se refugiar a fim de se livrarem do tormento dos insetos. Lição maravilhosa para nós todos os ministros de Deus, em nossa senda cristã. Creio que Davi ao dizer no mesmo salmo 23 no versículo 5, tinha por intenção, não só as virtudes consoladoras de Deus, mas também da proteção do Senhor em sua vida.
Na vida espiritual, muitas pessoas estão sendo verdadeiramente atormentadas por demônios, são os insetos, que não dão sossego às ovelhas. Para sanar tal problema, o Obreiro deve ministrar às ovelhas que estão sob o seu cuidado pastoral o verdadeiro bálsamo celestial que é o Espírito Santo, através da Palavra, da doutrina e do poder. Assim fazendo guardará o rebanho em calma e proteção.
3.3 – A OVELHA NÃO SE DEITA QUANDO ESTÁ EM ATRITO COM OUTRA OVELHA
Isto também leva a ovelha à insatisfação e insegurança. Em todas as sociedades de animais existe uma ordem de dominação no seio do grupo. Em um galinheiro isto é chamado a "ordem da bicada", em uma boiada a "ordem da chifrada", entre as ovelhas a ordem da marrada". Quando as mais fortes e hostis prevalecem sobre as mais fracas. Em geral, uma ovelha mais velha, arrogante, ardilosa e dominadora se arvorará em líder de qualquer grupo de carneiros. Ela mantém sua posição e prestígio com marradas, expulsando as outras fêmeas e cordeiros das melhores partes dos pastos ou de um recanto predileto. Sucedendo-a numa ordem precisa, seguem-se os outros animais, todos estabelecendo e mantendo uma posição exata no rebanho pelo emprego da mesma tática das marradas e empurrões contra aqueles que se acham abaixo ou ao redor. Este fato é retratado de maneira clara em Ezequiel 34.15,16; 20-22. Trata-se de um espantoso exemplo de perfeição científica das Escrituras ao descrever um fenômeno natural. Por causa de senso de rivalidade, tensão e competição pela posição melhor e alto-afirmação é que existe esse conflito no rebanho.
No seio do rebanho espiritual, deve o pastor, com amor e sabedoria, promover a paz e a cordialidade das ovelhas consigo mesmo e entre si. Lembre-se que todo bom pastor precisa reunir algumas características, como as citadas abaixo:
a) O pastor deve ser um pacificador (Mt 5.9)
b) O pastor deve ser um homem que divulgue a paz (Rm 14.19; Hb 12.14)
c) O pastor deve sempre promover a paz (Pv 12.20)
3.4 – A OVELHA NÃO SE DEITA SE ESTIVER COM FOME
Esta afirmação está implícita no texto do salmo 23.2: "deitar-me faz em verdes pastos". O Obreiro é responsável pela alimentação da igreja. Como despenseiros dos mistérios de Deus têm a responsabilidade de conduzir o povo em direção às insondáveis riquezas do céu (1 Co 4.1,2).
"Dai-lhes vós de comer", Mt 14.16, é o imperativo divino a todos os obreiros. Vivemos tempos trabalhosos como igrejas e mais do que nunca urge o cumprimento da ordem que recebemos de alimentarmos as ovelhas de Deus. É o tempo de se comer as gorduras e de beber as doçuras. Além disso, temos que enviar porções aos que não têm nada preparado para si, Ne 8.10. É tempo também de ensinarmos que não é só de pão que viverá o homem, mas de toda a Palavra que sair da boca de Deus (Mt 4.4). Porque a Palavra é fonte de doçura e felicidade, é fonte de saúde e produz no crente gozo e alegria. Sejamos Obreiros pregando a Palavra, vivendo de acordo com a Palavra, e ensinando a Palavra poderosa e santa. Assim sendo, veremos as ovelhas satisfeitas e saudáveis no rebanho que pertence a Deus.
Marco Antônio
Revista A Seara / CPAD 1991
Fonte: http://searanews.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário